Arquivo para vampiro

New York By Night – Boatos (Vampiro: A Máscara)

Posted in CENÁRIOS, New York By Night (VM), Vampiro - A Máscara with tags , , , , , on 30/01/2011 by Victor
Vampiro: Guia do Jogador

Vampiro: Guia do Jogador

A Camarilla usou vários artifícios para conquistar NY. Trago alguns boatos (idéias) para ajudar nas campanhas, todos tendo a visão da família (podendo ser ou não verdade, estar ou não deturpado):

– Exército iniciou uma guerra conta o terrorismo, pelo menos foi esta a história contada para esconder a verdade: lacaios localizando e deixando ao sol vampiros mais velhos do Sabá.

– Um Mago ou alguns deles tentaram mostrar aos Lobisomens qual lado eles estavam ajudando sem saber! Dizem que foram exterminados pelo Gangrel e que pode desencadeado uma guerra silenciosa entre Camarilla e os Despertos!

– Os Lobisomens foram enganados a ponto de acreditar que estavam numa guerra contra todos os Cainitas (sem saber que só atacavam o Sabá).

– Há um Gangrel aliado a Príncipe, com aparência e poder bestiais. Alguns ousam dizer que ele pode se parecer com um Lobisomem!

– Alguns Lasombra se juntaram a Camarilla.

– A cidade sofre com um problema de superlotação de Caitiffs.

– Alguns anciões dos Ventrue começam a almejar o principado.

– Os Nosferatu se mesclaram com os Nosferatu Antitribu que permaneceram por ali.

Jovens cavaleiros que passam por aqui, sintam-se confortáveis para sugerir qualquer boato, nada como novas idéias!

Uma visão de New York para Vampiro: A Máscara

Posted in CENÁRIOS, RPG, Vampiro - A Máscara with tags , , , , on 02/01/2011 by Victor

Vampiro: A MáscaraEstava precisando de um cenário para narrar algumas aventuras de Vampiro: A Máscara. Queria algo um pouco diferente e que eu sentisse total conforto em alterar qualquer característica e acontecimento. Então descrevo o que formulei, sinta-se a vontade para usar, opinar, alterar, descartar…

Pelo que eu conhecia NY era um território do Sabá, então a idéia foi muito simples: A Camarilla usou sua influencia política e força bruta de várias crianças da noite e retomou a cidade a cerca de quinze anos.

Com isso, a população da cidade é nova e amedrontada, com muitas crianças da noite. O principado ficou na mão de uma cainita Brujah. Muitos anciões, principalmente de clãs como Ventrue, ainda tem receio de entrar na cidade.

A maioria dos cainitas do Sabá foram exterminados ou fugiram, embora alguns ainda continuem na cidade com um pouco de cautela.

Boatos dizem que o êxito só foi possível graças a conexões entre o Príncipe e um ancião Gangrel de poder bestial, chamado de carrasco, que possui contatos com Lobisomens.

Os Garous se envolveram transformando o período de guerra ainda mais sangrento e perturbador.

Nenhum desperto teve maturidade suficiente para entender o que estava em jogo, muito menos escolher lados.

Cavaleiros que nos prestigiam, espero que as idéias sejam úteis. Desejo a vocês um feliz ano novo, que este 2011 proporcione a todos momentos maravilhosos.

Vampire Translation Guide

Posted in ARTIGOS, RPG, RPG, Vampiro - A Máscara, Vampiro - O Réquiem with tags , , , , , on 30/11/2010 by Victor

Vampire Translation Guide

Olá viajantes de todos continentes e galáxias, parece que a WW não aguentou deixar Vampiro: A Máscara de lado!

Um suplemento lançado agora Vampire Translation Guide permite a integração entre o Vampiro: A Máscara com Vampiro: O Réquiem, permitindo que um jogador utilize um personagem Malkaviano em Storytelling e vice-versa por exemplo.

Bom, algumas coisas interessantes: Link Oficial e onde podem solicitar o download (gratuito).

Voltando ao assunto, acho que é muito interessante para jogadores que insistem em levantar uma bandeira determinando que um seja melhor que o outro. No entanto impossível integrar algo sem perder as características básicas.

Como uma leitora que curte o clã Tremere e não quer deixá-lo de lado, este suplemento é perfeito, mas como este clã se integraria no novo cenário? Eles eram magos que assassinaram um Antediluviano? Calma, até onde eu li não há o conceito de Antediluviano no Vampiro: O Réquiem!

Dando uma olhada rápida no livro, ele é bem completo. Vale à pena conferir e baixar (free!), mas não exagerar na mistura dos dois. Talvez algumas disciplinas ou características sejam interessantes ou algo então abuse desde que disponha de tempo para tornar as coisas coerentes!

Não há problema de criar uma nova identidade para o teu jogo, mas é importante que ele tenha uma identidade. Forçar algo goela abaixo dos jogadores só porque é o mestre não é legal!

Fica a dica…

Começando a Narrar…

Posted in ARTIGOS, Recomendações, RPG, RPG with tags , , , , , , , on 25/11/2010 by Victor

Ah jovem cavaleiro que anda por estas aventuras, seria corajoso suficiente para encarar narrar uma partida? Sim acho que coragem é o fator decisivo, mas por quê?

Quando eu narro vampiro (e até alguns outros) eu sempre tive um problema: conhecer o território. Como vampiro usa um cenário similar ao nosso, se eu jogar em São Paulo (cidade que resido) com algum jogador que conheça vai me contrariar a cada 2 minutos! Em um cenário totalmente fantasioso criado por tu, qualquer coisa é irrefutável, mas quando usa de um livro ou baseado em um real… Como procuro cidades grandes eu já situo em algo tipo NY, onde meus jogadores não conhecem!

Outro ponto que pode dar uma dúvida é o fato de não saber as regras. Bom, sobre isto serei breve: E daí? As regras não são a base, lembre-se disto!

Financeiro, caro não é? Compre um mais barato, faça uma economia, peça de presente, use teu 13º…. Infelizmente como tudo em nosso país os livros são caros, mas só assim que poderemos manter as editoras publicando os livros. E ainda se já tiver um grupo você pode narrar um jogo que alguém já tem o livro.

Ter uma história, agora sim achou a base e a motivação.  Particularmente não gosto nem aconselho histórias criadas de cabo a rabo, muito trabalho e qualquer desvio dos personagens e toda ela pode ir por água abaixo. Gosto de criar acontecimentos que darão um caminho para a história, mas como eles são dispostos no jogo só descubro conforme tudo vai acontecendo. Gosto muito de improvisar também, quem disse que o futuro já está escrito?

Agora respeito entre todos é fundamental, até porque quem sentar como narrador tem a responsabilidade de manter todos os jogadores seguindo suas regras, poderíamos montar um ringue se os jogadores começassem a discutir todas as regras ou decisões do narrador!

Encare o novo, tente, valerá à pena! Na minha antiga mesa de jogo 85% dos jogadores também narravam!

Jogos…

Posted in ARTIGOS, Dungeons & Dragons 4ª Ed., GURPS, Lobisomem - O Apocalipse, Mago - A Ascensão, Recomendações, RPG, RPG, Vampiro - A Máscara, Vampiro - O Réquiem with tags , , , , , , , , , , , , , on 14/11/2010 by Victor

LivrosEstava eu em minha profunda meditação nas plantações do planeta Enialside, quando algo me veio a mente. Vários artigos aqui falam sobre RPG, mas para os jovens cavaleiros que estão encarando esta aventura agora pouco foi falado sobre os jogos. Acompanhando os EpicKnights Cast você saberá em detalhes sobre os jogos, então pretendo dar apenas uma pinceladas sobre eles.

Existem vários jogos no mercado nacional e uma infinidade no mercado internacional. Estarei dando uma leve introdução de alguns deles que eu conheço, pois parto do meu conhecimento para descrevê-los e não tenho intenção de ser imparcial!

Cada jogo é composto por um livro básico que descreve as regras, a partir daí pode haver outros livros – considerados básicos ou não – para descrever cenários, monstros, criação de personagem, etc. Detalhes sobre O que é RPG vocês ouvirão em breve aqui.

E lá vão eles:

GURPS – Genérico. Um sistema de regras criado e flexível para ser usado em qualquer cenário. Livro um pouco chato de ler, mas sem dúvidas um jogo perfeito para campanhas de ficção cientifica.

Vampiro: A Máscara – O jogo pertencente do sistema Storyteller, com uma temática mais adulta voltada para terror onde você joga com um monstro vivendo noite após noite lutando contra a besta interior e temendo seus iguais. Sistemas de regras fraco, mas pouco importante.

Lobisomem: O Apocalipse – Segundo titulo do sistema Storyteller, aqui você joga com um lobisomem que pode assumir cinco formas distintas para combater o mal. A meu ver o mais difícil de ser narrado de forma mais aterrorizante.

Mago: A Ascensão – Terceiro titulo do sistema Storyteller. Um mundo cheio de regras impostos pela ignorância, aqui os humanos despertos conseguem alterar a “realidade” como desejado. Cenário complexo, mais complexo ainda manter o jogo com uma temática adulta onde se encara problemas ao invés de se divertir com poderes fantásticos!

D&D (Dungeons & Dragons) – Jogo de fantasia medieval. Aqui serão aventureiros como guerreiros, ladinos, magos, feiticeiros, bardos, etc desafiando vários monstros em jornadas heróicas.

Mundo das Trevas – Novas regras e cenário atualizado para jogar com criaturas sobrenaturais em jogos de terror. Carro chefe para o sistema Storytelling. Focado em interpretação trás títulos como: Vampiro: O Réquiem, Lobisomem: Os Destituídos e Mago: O Despertar.

Trevas – Jogo brasileiro desenvolvido para jogo de terror contemporâneo. Sejaum mago em um mundo onde anjos e demônios travam combates além da imaginação das pessoas comuns.

Paranóia – Jogo de comédia onde os humanos são liderados por um computador com um sistema de leis abusivas e incoerentes. Vale à pena jogar, mas no meu ponto de vista depende de um mestre habilidoso e competente na arte da comédia.

Se quiser uma opinião sobre algum jogo ou cenário, sintam-se confortável a perguntar a nós. Pode deixar um comentário aqui ou enviar um e-mail para: epkcast@gmail.com.

Espero ter ajudado aos aspirantes de cavaleiros a no mínimo direcionar as buscas.

“Trust No One”

Posted in ARTIGOS, Recomendações, RPG with tags , , , , on 09/11/2010 by Victor

Jovem e antigo Cavaleiro que nos dá a honra de tua visita. Seguindo uma tendência paranóica idealizei algo e nunca consegui utilizar para jogadores! Focado para jogos com histórias mais complexas – é o mistério do personagem. (Quase) Todo jogador de RPG sente prazer em exibir teu personagem. Mesmo sendo tentador mostrar todos aqueles pontos distribuídos em uma perfeição, sugiro que os guarde para você!

Imaginando que tenha tido o trabalho de construir uma história sólida, distribuir os pontos de forma coerente, para que entregar isto aos outros jogadores? Quando conhece uma pessoa, ela te dá tuas características físicas (ex.: “sou hábil com armas de fogo, mas nunca aprendi biologia!”) ou então sobre suas histórias? Ah, a pergunta é: Ela te dá as verdadeiras características? Seja por um motivo ou outro, alguns fatos são ocultos ou distorcidos e acredito que isto possa enriquecer uma história!

Claro que estamos falando de jogos e não podemos levar isto tão a sério, mas guardando para si (e o narrador) alguns segredos o jogo ficará mais interessante. Campanhas das quais participei de Paranóia só conseguiram atingir níveis hilários porque o mestre nos instruiu a guardar alguns segredos (quem deveria matar quem e se éramos mutantes!).

Nas minhas campanhas, principalmente Vampiro, os personagens nunca tiveram informação sobre os NPCs. Isto ajuda na ambientação, nada como temer o que você não conhece, principalmente em jogos que a aparência não revela nada em especifico!

Como tudo, isto também é uma questão de gosto. Se estiver narrando ou participando de um jogo de terror e/ou intrigas, não revelar ou revelar mentiras pode ser uma arma interessante para os jogadores e mestres.

Boa sorte cavaleiros….

O Corvo (The Crow – 1994)

Posted in ARTIGOS, Filme, Lobisomem - O Apocalipse, Recomendações, Vampiro - A Máscara, Vampiro - O Réquiem with tags , , , on 31/10/2010 by Victor

 

O Corvo

Um filme que assisti a muitos anos e dei a sorte de assisti-lo hoje novamente. Como falei sobre Vampiro: O Réquiem no post anterior, eu recomendo este filme que no meu ponto de vista tem uma ambientação perfeita. O cenário é pesado e mostra um mundo decadente, drogas e diversão através da violência – isto não é indicado para crianças, mas Vampiro: O Réquiem também não é.

Uma das falas que me chamou atenção foi quando um dos assassinos se depara com o desconhecido, algo que é intrínseco em vampiro: “Nós o jogamos pela janela e não existe volta. Esse é o mundo de verdade. Não existe volta.

Claro que é meu gosto, mas junte tudo isso a uma trilha sensacional e terá um grande filme. Mesmo tendo de pano de fundo um romance e sendo antigo, vale à pena conferir no mínimo para ver o cenário.

Sinopse

O roqueiro Eric Draven está morto… Mas, estranhamente, ele ainda vive. Ele ainda não pode descansar em paz, não enquanto os vermes responsáveis por sua morte e também pelo assassinato de sua noiva permanecerem vivos. Assim, Draven retorna de seu túmulo para submeter seus matadores a uma implacável vingança. E ele não está sozinho. Um amedrontador corvo do outro mundo guia Draven em sua jornada.

Brandon Lee interpreta Draven neste conto sobrenatural de vingança baseado na série em quadrinhos criada por James O’Barr. Alex Proyas (Eu, Robô) dirige o filme, combinando os elementos de suspense da vendetta de Draven com um incrível visual neogótico, diferente de tudo já visto nas telas. Inimigo após inimigo, batalha após batalha, Draven está perto de completar seu triste propósito. Ele vive. Eles morrem. Mas há um segredo sobre seus poderes. E se os seus rivais o descobrirem, talvez não haja mais nada na Terra capaz de salvá-lo.

Trilha sonora

  • Burn – The Cure
  • Golgotha Tenement Blues – Machines Of Loving Grace
  • Big Empty – Stone Temple Pilots
  • Color Me Once – Violent Femmes
  • Dead Souls – Nine Inch Nails
  • Darkness – Rage Against The Machine
  • Snakedriver – The Jesus and Mary Chain
  • Time Baby Iii – Medicine
  • After The Flesh – My Life With The Thrill Kill Kult
  • Milktoast – Helmet
  • Ghostrider – Rollins Band
  • Slip Slide Melting – For Love Not Lisa
  • The Badge – Pantera
  • It Can’t Rain All The Time – Jane Siberry