Viajando

Inspirado por uma matéria antiga pacas que saiu na revista Dragão Brasil, eu nunca tirei da cabeça a importância da inevitável Viagem.
Querendo ou não, vai chegar um momento em que os personagens da sua mesa vão precisar viajar. E nessa hora você mestre, terá de tomar uma decisão importante.

Na maioria dos casos, o mestre opta por “acelerar” a aventura simplesmente pulando a parte da viagem que os aventureiros precisam fazer. Entretanto, usando desse atalho para a ação nua e crua, o mestre pode não perceber que deixou passar batido uma grande chance de conquistar ainda mais a admiração dos seus jogadores. Isso mesmo, com um simples e pequeno enredo de viagem, o mestre pode enriquecer ainda mais sua campanha.

Por exemplo, o grupo precisa sair da cidade onde estão e ir para uma vila depois das colinas ao norte. Então, depois de um tempo na estrada, os personagens encontram com um andarilho todo machucado que os informa sobre uma criatura que está assolando todos aqueles que tentam viajar para o norte.
Depois de um tempo, os personagens encontram com uma pantera deslocadora a qual eles vencem e acabam com o problema da estrada, o que lhes rende a fama na região como aqueles que reestabeleceram a paz na estrada.

Isso pode parecer simples, mas com certeza gratifica seus jogadores e os incentiva a sempre saírem preparados para as viagens, e não apenas dizer que saíram a cavalo sem se preocupar com comida, bebida e estudar possíveis perigos que rondam a área.
Atitudes simples mudam a postura do jogo e, com o tempo, qualquer jogador vai se acostumar a sair de casa esperando uma surpresa durante suas viagens, não importa qual seja o perfil de jogador que eles tenham.

Anúncios

2 Respostas to “Viajando”

  1. Victor Says:

    Se joga D&D,os personagens viajam muito e o mestre as pula… é uma boa forma de ter personagens de 50 anos no 2º nível! rsrsrsrsrs

  2. Devo confessar que a maioria de minhas viagens em jogo são mesmo aceleradas 😉

    Apenas contamos mantimentos e medimos quantos dias à cavalo levaria para tal.

    O máximo que eu cobrava eram turnos de vigília à noite, rolando prontidão, se fariam acampamento em campo aberto, se seria iluminado por fogueiras ou coisas assim.

    Cada atitude era anotada e conferia-se o perigo das consequências.

    Hoje em dia, já utilizei de 3 viagens para ganchos poderosos de aventuras, mas ainda assim pulo muitas estradas!

    Acho que meus jogadores já sabem dizer quando vou colocar algo nas estradas ou não só do modo que eu as descrevo!!! Hhahahah!

    Não acredito que estou ficando previsível depois de tanto tempo!!!

    Bela matéria!!!

    Até mais!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: