Mudar é bom


Bom, este é meu primeiro texto neste blog e de cara pretendo bater de frente com uma legião de rpgistas a que eu costumo chamar de “mais do mesmo”. Desculpem se esse texto vai soar agressivo,  se for ótimo, ser agressivo é seu objetivo mesmo! Antes de tudo quero afirmar aqui que o grande objetivo do RPG é a mudança! Opa, alguem falou em diversão? Sim, diversão é importante, mas alguem acha divertido começar e terminar o jogo com o personagem no mesmo nível e do mesmo jeito que iniciou sem ter feito nada de diferente? É..acho que não né. Bom… continuando minha divagação sobre mudanças:

Mais do mesmo

Que me desculpem os mestres tradicionalistas, mas como jogador não vejo nada mais triste que jogar sempre no mesmo cenário com os mesmos npc’s e do mesmo jeitinho de sempre.  RPG é algo muito vasto e interessante para ser explorado de forma tão parca e preguiçosa. O resultado desse tipo de atitude quase sempre é um bando de jogadores mal acostumados e carregados de senãos e preconceitos com outros cenários, sistemas e estilos de campanhas.

Novo WOD, novo D&D na minha mesa não! Porque não?

Serei curto e grosso, as pessoas mudam, os personagens mudam, qual o problema de se experimentar novas edições, sistemas ou cenários diferentes? Por favor, que ninguem venha com aquela de que livros são caros e que as editoras só querem ganhar dinheiro! Sim, elas querem dinheiro, e os autores também. Ambos precisam se sustentar, eles não estão ali só pelo amor ao RPG, que aliás pra maioria de nós é um hobby, mas que pra eles é o pão de cada dia. Pense apenas o seguinte, se ninguem mais comprar livros de RPG novos, o que acontecerá com a indústria de RPG? Ai! eu disse indústria né, perdão aos revolucionários bolivarianos que estiverem lendo esse artigo, mas RPG é uma indústria sim! Aqui no Brasil se reclama (e com um tanto de razão) de que o RPG não é valorizado e de que a Devir e as outras editoras não trazem material para cá. Também reclamam que elas não dão chances suficientes para os autores locais. Mas sinceramente, se você está no grupo dos que reclamam disso mas nunca quis comprar livros novos de RPG, faça me um favor,  se dirija ao estrume mais próximo. Hipocrisia é o que faz um hobby afundar. Óbvio que nem todo mundo tem dinheiro sobrando pra sair comprando todos os livros de RPG que quer, mas é triste ver pessoas com condição financeira que gastam dinheiro em coisas bem supérfluas reclamando dos preços dos livros de RPG. Logo pra muitos dinheiro não é desculpa.

Porque mudar?

Mudar é bom, estagnação é ruim. Não se aprende nada novo, jogando a mesma coisa sempre. O que vale pra vida vale pro RPG. Existem centenas de cenários de RPG pouco explorados e que podem proporcionar muita diversão além de novas experiências a jogadores e mestres. Se limitar a um ou outro é limitar-se a si mesmo. Pense nisso!

Anúncios

19 Respostas to “Mudar é bom”

  1. Quem quiser entender melhor sobre mudança e estagnação recomendo: Mago: A ascensão.

    \o/

  2. Victor Says:

    Perfeito, ótimos pontos abordados. No meu ponto de vista, só há faço ressalva! Se a campanha está legal, pode ser continuada no mesmo cenário e com os mesmos personagens…. isto não impede que algumas características mudem e melhorem!

    Agora, também não adianta mudar campanha, cenário, jogo e o jogador criar o personagem idêntico…. aquele clone! Bora aproveitar e mudar alguns detalhes, pelo menos!

  3. Primeiro texto no forum, e um dos que mais me agradou ler.

    Acho que mesmo mestres sem dinheiro (como eu) podem mudar (e muito) suas campanhas e sistemas!

    Um dos meus jogadores (E mestre de D&D4) compra livros e dados aos quilos. Bacana!

    Não acho tão necessário, mas com certeza não são dispensáveis.

    Mestro WoD 3e, mestro Pathfinder e F.U.B.A.R, além de brincar no 3d&t no fórum. Cada sexta, um sistema.

    Isto me dá 3 semanas para pensar em uma continuação diversificada para cada campanha.

    Acredito que minhas aventuras nunca foram repetitivas, sempre planejo ações novas e discuto inovações com mestres mais experientes que eu (pela internet, uma vez que moro no Pantanal, onde mestres são raridade).

    Trocar de sistema nunca foi problema para mim. Sempre testo tudo que coloco as mãos (e os olhos), isto aumenta gigantescamente a carga do “currículo” do mestre.

    Belíssimo post, eu sei que minha resposta não teve TANTO a ver assim, mas queria me expressar desta forma.

    SEM PRECONCEITO À GURPS, SEM PRECONCEITO À 3D&T E SISTEMAS/CENÁRIOS NACIONAIS!

    Apoio o cenário RPGístico nacional sempre!

    O que mais vejo em quesito “mente fechada” de mestres é quanto a isso.

    Poderia render um bom tópico.

    Abraços!

  4. Juraski Says:

    Obrigado pelos comentários caros mestres!

    Lessandro: verdade, tem tudo haver. Na verdade esse texto sobre mudanças foi diretamente inspirado por esse, um completa o outro: http://taintofdeath.wordpress.com/2010/10/26/campanhas-longas-em-mago-problemas-e-solucoes/

    Victor: concordo plenamente, meu texto não chega a abordar a situação de continuar uma campanha porque se trata de algo muito bom por sinal. Mas mesmo numa situação dessas defendo que se deva dar uma fugidinha para outros cenários e sistemas afim de conhecer.

    Rotieh: Obrigado pelo elogio ao texto. Sou partidário da mesma opinião que você. Mesmo pra quem não tem dinheiro, pode fazer uso da imensa quantia de netbooks disponiveis pela internet. Fica parado quem quer.

  5. Victor Says:

    Perfeito Juraski, mesmo que uma campanha se estenda, nada impede de outras campanhas, de outros sistemas rolarem em paralelo!
    Até para trocar de Mestre… pq a graça está em jogar também!

  6. Bom, há que se levar em consideração que pessoas medíocres existem, às pencas, em todo lugar do mundo. No RPG com certeza não seria diferente. Porém, como não se joga sozinho, acho que é dever do mestre e dos players incentivar os coleguinhas de mesa a evoluírem. Porque, pra mim, RPG deve proporcionar, além de diversão, espaço para evolução pessoal (me entreguei, né? Pois é, sou jogadora de Mago…). Digo isso pois vejo no RPG a possibilidade de confrontar os jogadores com vivências diferentes das suas cotidianas, confrontá-los diretamente com temáticas mais complexas, que provavelmente não têm chance de experimentar em suas vidinhas medíocres e corriqueiras… (Em psicologuês, isso seria simbolizar e trazer para o Consciente temáticas perpassantes à vivência humana, hehe)
    Há pessoas que buscam a Ascensão, a mudança, evolução pessoal, uma vida mais dinâmica, e pessoas que buscam uma vida mais estática, mais do mesmo, a segurança da estabilidade. Porém, como meu mestre me disse hoje, “RPG é uma emulação da vida”. O inesperado existe, taí na realidade. E, aliás, o tesão da vida é bem o que acontece pra nos tirar dos eixos quando estávamos conformados com o nosso status quo…

    • Juraski Says:

      Comentário bastante pertinente. Bateu um orgulhinho aqui. hehehe
      De fato a oportunidade de vivenciar o diferente realmente leva a uma “evolução”. RPG traz isso consigo, tem que saber aproveitar.

      • E, além do mais, isso deve ser aproveitado para tudo na vida.
        Assim como no rpg, devemos observar as mudanças e crescer com elas, como já foi dito.

        Muito bom, este tópico tá rendendo belas discussões (construtivas).

  7. Muito bom memos parabéns!
    A garota Pzycóze indicou viemos conferir ! Esse realmente foi um ótimo post!

    • Juraski Says:

      Muito obrigado! Tenho lido seu blog constantemente, gosto muito daquelas tiras, são muito inteligente e bem boladas!

  8. Ctrl+C Ctrl+V de uma postagem minha na dragões do sol negro:

    “A Epicknights eu acompanho desde o início, encontrei em uma postagem do orkut.

    Quando eu comentava, via apenas o meu comentário e uma resposta do autor do tópico.

    Entrei lá hoje e encontrei 7 respostas 😉

    É satisfatório realmente notar o ganho de xp de blogs que valem a pena 😉 ”

    Só para puxar o saco um pouco.

    Hoje acordei com um humor bajulador.

    Não liguem, jájá passa.

    • hahah

      não ligamos rotieh.
      você já é parte do time de leitores vips.
      hahaha

      Tem uma galera que lê, mas nunca comenta, o que é uma pena.
      As vezes converso via msn, ou email com outros leitores também, mas não são muitos, afinal, o blog tem pouco tempo de vida ainda.

      E agradecemos muito ao apoio que vocês vem nos dando.

      • Juraski Says:

        Hahaha Sussa Rotieh.
        Como disse o John, estamos muito agradecidos pelo feedback. Tenho alguns amigos que também lêem aqui, elogiam os textos para mim por msn ou twitter mas não comentam. Os comentários servem de grande estímulo pra gente.

        Valeu mesmo!

      • Tá aí uma coisa que é verdade, os amigos leem o nosso blog, falam com a gente mas não deixam comentário.

  9. Juraski que bom que esteja gostando das tirinhas, nós quando vimos tbm achamos fantasticas.
    Que feio Ctrl C+Ctrl V heheheh de comentário seu heheheheheh
    Mas o comentário é positivo e isso é bom muito bom!

  10. Victor Says:

    Como comentado pela Garota Psykóze e pelo John, mudar e passar por novas experiências nos levam ao aprendizado e algumas pessoas ficam com medo e presas ao comodismo. Podemos ajudar os amigos a evoluírem!

    Realmente é muito gratificante ver o pessoal comentando….
    Obrigado a galera que está acompanhando o blog e em breve teremos mais casts!!!!

  11. […] Mudar é bom outubro, 2010 18 comentários 4 […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s